Certificações:

Anbima: CPA-10, CPA-20, CEA          ANCORD: AAI             Planejar: CFP

IGP-M: O índice de Inflação que mais reflete o mercado

Falaaaaaa Galeraaa, Como vocês estão?


Hoje trago um tema muito atual e muito pertinente ao nosso dia-a-dia e que sempre estará presente em qualquer sistema econômico, o tema é "Inflação".


No Brasil o sistema econômico adotado é o "Metas para Inflação", onde as decisões do governo e suas entidades são sempre voltadas a manter a estabilidade dos preços e crescimento econômico do país.


A meta oficial da Inflação é o IPCA, porém ele não reflete a real inflação do Brasileiro, aquela que vemos tão próximo ao nosso dia-a-dia, muito devido a forma como o IPCA é calculado, vemos aqui as principais classes e seus respectivos pesos:


Vemos:

1° Alimentação e Bebidas: 20,48%

2° Transporte: 19,79%

3° Habitação: 15,61%


A soma destas 3 classes totaliza 55,88% do IPCA, demonstrando que com maior distribuição dos pesos em várias classes qualquer alteração brusca para alta ou para baixa dos preços pouco influencia o cálculo final do IPCA.

O que mais intriga é quando olhamos a evolução dos preços por classe e vamos que o setor que mais teve aumento nos preços impacta somente 20% do IPCA que é o setor de Alimentação e Bebidas com aumento de 9,37% no ano, porém impactou somente 1,91% do IPCA, um crescimento alto com impacto bem irrelevante como podemos verificar abaixo:


O que podemos aprender quando analisamos a inflação pelo IPCA? É a inflação mais lenta, a que demora mais a se atualizar conforme as condições atuais do mercado e com isso podemos ver uma errônea decisão governamental na condução das políticas econômicas.


Com esse entendimento eu sugiro "SEMPRE" avaliar a inflação pelo IGP-M para que possa mensurar com maior precisão como está a inflação real e atual em nosso país, e digo mais, o índice que irá refletir maior proteção do seu poder de compra é o IGP-M, e um dado interessante o IGP-M em 2020 já acumula alta de 20%, refletindo o que estamos vivendo atualmente e veja você mesmo como o preço de produtos básicos aumentaram de preço recentemente. O IGP-M é o índice que mais reflete a variação do DÓLAR, pois como sabemos temos um fortíssimo impacto do preço do dólar nos produtos que consumimos em nosso país.


Vamos nos aprofundar um pouco mais na metodologia de cálculo do IGP-M?


60% reflete o IPA = Índice de Preço ao Atacado (Preço que reflete os principais produtos de consumo básico, preço da gasolina e demais commodities);


30% reflete o IPC= Índice de Preço ao Consumidor (mede variações intertemporais de preços de um conjunto fixo de bens e serviços componentes de despesas habituais de famílias com nível de renda situado entre 1 e 33 salários mínimos mensais.)


10% reflete o INCC= Índice de Nacional de Custo da Construção Civil é um indicador econômico que mede a evolução de custos de construções habitacionais.


Podemos verificar o baita impacto que os produtos que consumimos serem mais refletidos no IGP-M, pois 60% deste índice de inflação reflete aquilo que consumimos ante 20% do IPCA. O mais interessante e intrigante é, a maioria dos contratos são corrigidos pelo IGP-M, já reparou nisto? Pensa no seu aluguel, no seu seguro, na sua universidade? Todas utilizam o IGP-M como índice de inflação que mede a correção dos seus contratos. Então vai por mim, quer proteger seu poder de compra realizando algum tipo de investimento, busque investimentos atrelados ao IGP-M, se quer saber como está a inflação em nosso país? Avalie o IGP-M.


Abaixo ficará bem demonstrado todo o meu pensamento sobre o IGP-M:



Com o gráfico acima, vemos nitidamente que o IPA (aquele que melhor reflete nossos gastos) foi o índice que mais subiu em 2020 e que mais impactou o IGP-M.


Após esta reflexão, ficou mais claro o porque avaliar o IGP-M?


Um grande abraço

Prof Fernando Gaspar


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo